METRALHADORA GIRATÓRIA

Prestes a deixar o mandato, já que não foi reeleito, tem um Vereador se comportando como uma metralhadora giratória. Toda vez que chega na casa atira para todos os lados principalmente nos novatos eleitos. 

JULGAMENTO DE FG SAIU DA PAUTA

O julgamento de FG que todos esperavam ansiosos para hoje saiu de pauta e deverá ser julgado dia 12 deste mês, sendo que a qualquer momento poderá voltar a pauta. A noticia de julgamento deixou muitas pessoas de orelha em pé. O motivo da suspensão do julgamento foi porque o Tribunal de Contas da União (TCU), órgão colegiado, confirmou decisão que julgou Fernando culpado de crime de improbidade na compra de ambulâncias superfaturadas. Cabe recurso.
Fernando está vencendo no TRE-BA, por 2 a 1. O democrata precisa de, pelo menos, quatro votos na corte eleitoral para conseguir a diplomação a tempo de tomar posse em 1º de janeiro de 2017. O prazo limite para diplomação é 19 de dezembro (dentro de 14 dias). Fernando vai ficando cada vez mais longe da prefeitura e a cidade caminha para nova eleição. Em janeiro, deve assumir o Centro Administrativo de Itabuna, o presidente da Câmara de Vereadores que será eleito no dia 1º. Ele ficará no cargo até que seja marcada uma nova eleição na cidade.

CONVITE

No dia do evento será apresentada a nova equipe da super Rádio Nacional AM 870KHZ. Muitos brindes serão sorteados.

NOTA

O presente de ano novo do Prefeito fantasma Vane. A passagem de ônibus coletivo a partir do dia 30/12 passará a custar 2,85. O passageiro vai dar 3,00 o cobrador nunca vai ter 0,15 centavos de troco. Aí haja confusão.

“NÃO HOUVE NENHUM DESVIO DE RECURSOS NA EMASA”, AFIRMA EX-PRESIDENTE RICARDO CAMPOS

O ex-presidente da Emasa (Empresa Municipal de Águas e Saneamento), engenheiro eletricista Ricardo Campos, questiona a forma como se tornaram públicas as alegadas irregularidades na concessionária. Ele segue veemente ao se defender da acusação de “condescendência criminosa” (omissão), ainda em apuração.

“Foi noticiado que houve irregularidades praticadas pela diretoria; não houve nenhum desvio de recursos na empresa. As contas da Emasa de 2013, 2014 e 2015 estão todas aprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios, órgão máximo de fiscalização de todo serviço público municipal”, declarou.

No próximo dia 06, com a oitiva de testemunhas e interrogatório dos acusados, chega à fase final a “instrução processual” da ação movida pelo Ministério Público contra a diretoria exonerada da Emasa. O processo também envolve funcionários apontados em suposto uso da máquina pública para venda ilegal de água.

Especificamente sobre a acusação contra o ex-gestor, o delito de “condescendência criminosa” está tipificado no artigo 320 do Código Penal. Ocorre quando não se responsabiliza um subordinado por infração no exercício do cargo. Campos, acompanhado do advogado Thales Habib, esteve no Diário Bahia, para esclarecer como a defesa busca provar a inocência dele.

“Ricardo Campos, ao tomar conhecimento das denúncias da [funcionária] Fernanda Fetal, se não tivesse determinado a abertura de procedimento investigativo, estaria cometendo o crime de condescendência. [Mas] Ricardo convocou o conselho da Emasa e existe uma prova material. A defesa anexou um documento (portaria nº 029/2016), que determinava a formação da comissão composta por três membros da Emasa, do setor jurídico, para investigar Fernanda Fetal e as denúncias por ela apuradas”, afirmou Dr. Habib.

Outra medida tomada pela defesa, relatou o advogado, foi impetrar um pedido de Habeas Corpusjunto ao Tribunal de Justiça da Bahia, para que Ricardo Campos tivesse devolvido o direito de ocupar qualquer cargo público. Ou mesmo de ir à Emasa, caso solicitado para prestar contas sobre decisões tomadas em 3 anos 8 meses de administração. Tal pleito foi deferido por unanimidade.

Expectativa de absolvição
Passada a fase de instrução, o processo vai para a etapa de alegações finais, para que os advogados apresentem a defesa. Daí o juiz irá se isolar, para prolatar a sentença. “Ricardo Campos está se defendendo e apresentando provas materiais de que não foi condescendente. A defesa confia na Justiça e nós estamos aguardando um resultado final no sentido de que ele venha a ser absolvido da acusação”, reiterou o advogado Thales Habib.

A pena para o delito de “condescendência criminosa” é de 15 a 30 dias em regime aberto, por ser um delito de menor potencial ofensivo. Em geral, essa pena costuma ser substituída por medidas alternativas, como a prestação de serviços comunitários.

Origem das acusações
Ricardo Campos lembra que, devido à crise hídrica decorrente de 11 meses sem chuva, a Emasa precisou adotar medidas emergenciais, a fim de garantir um mínimo de abastecimento para a população. Foram adquirimos vários tanques, carros-pipas e água potável pela Embasa, por exemplo.

“O problema na Empresa surgiu a partir do momento em que começamos a ampliar a captação em Castelo Novo. Quando começamos a ativar a estação, estávamos junto com o pessoal técnico da Embasa. A fazenda Almada cedeu a área para a captação, através da contrapartida de pagamento de contas de luz. Como a área estava totalmente abandonada, tivemos que fazer serviços de melhorias. O acesso estava impedido e solicitamos a limpeza do ramal”, relatou.

Segundo o engenheiro, a Emasa providenciou maquinário para fazer o serviço de abertura da área e reparos da estrada para se chegar àquele distrito ilheense. “Em cima disso, é que surgiu uma denúncia feita por uma funcionária, através de um vídeo”, reconheceu ele, sustentando que na medida de usar a estação de Castelo Novo como “plano B” não havia qualquer ilegalidade. (Do Diário Bahia)

PARA ADVOGADO,FERNANDO GOMES NÃO SERÁ EMPOSSADO

Amanhã é o grande dia para sabermos se Itabuna vai ter prefeito ou se teremos uma nova eleição. Todos os sentidos estão voltados para o julgamento de FG.

O advogado do PDT, Luiz Viana Queiroz, acredita que com a derrota no TCU na semana passada, dificilmente o candidato a prefeito mais votado de Itabuna, Fernando Gomes (DEM), terá seu registro de candidatura deferido pelo Tribunal Regional Eleitoral.

“ Fernando não foi considerado eleito; está inelegível pela rejeição no Tribunal de Contas da União; houve um ato doloso de improbidade administrativa mais do que comprovada. Nossa expectativa decorre de pareceres do Procurador Regional Eleitoral, do promotor eleitoral de Itabuna. A expectativa do PDT é que Fernando Gomes seja mantido indeferido, porque é ficha-suja”.

Na semana passada Fernando Gomes sofreu uma derrota no Tribunal de Contas da União (TCU). Com isso ele está com duas contas rejeitadas no TCU.


Neste domingo Fernando Gomes (DEM), embarcou para capital do estado para conversar com seus advogados.Na última sexta-feira o “qg” do político ficou preocupado. O motivo foi a derrota sofrida no TCU. (Políticos do Sul da Bahia).

PRIMEIRA ONDA DE PROTESTOS PÓS-DILMA SE ESPALHA PELO PAÍS

A primeira onda de protestos pós-Dilma acontece neste domingo e já se espalha por diversas cidades brasileiras, como Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campinas e São Paulo. Os manifestantes protestam contra a corrupção e apoiam a Lava Jato. Entre as pautas, também está o pedido de rejeição às mudanças no pacote anticorrupção, após o a Câmara dos Deputados votar na ‘calada da noite’ diversas modificações no projeto que desfiguraram o texto inicial.
Enquanto o Brasil ainda estava sob o choque do desastre aéreo envolvendo a delegação do time da Chapecoense, jornalistas e convidados, a Câmara aproveitou para votar, entre meia-noite e quatro horas da madrugada, diversas medidas – entre elas, o pacote anticorrupção. Segundo o s organizadores do movimento ‘Vem pra Rua’, um dos que encabeçaram os protestos pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, as manifestações acontecem em mais de 200 cidades brasileiras.
Em São Paulo, os manifestantes se reúnem na Avenida Paulista e, no Rio de Janeiro, no Posto 5, na praia de Copacabana. Em Belo Horizonte, o ponto de encontro é a Praça da Liberdade que, segundo o ‘Vem pra Rua’, conta com cerca de 8.000 participantes neste momento. Em Brasília, os organizadores estimaram a presença de 15.000 participantes, enquanto a Polícia Militar informou que o número de manifestantes era de, aproximadamente, 5.000 pessoas. Em Recife, a organização do evento estimou 1.000 participantes. (Veja.Com)

O DIA EM QUE ATÉ O CÉU CHOROU PELA CHAPECOENSE

Velório coletivo das vítimas do acidente em Medellín, realizado sob uma chuva incessante, emocionou a Arena Condá, em Chapecó - e todo o Brasil.
A torcida da Chapecoense se despediu de seus ídolos neste sábado, sob os gritos de “É campeão”, seguidos por um doloroso silêncio. A Arena Condá não chegou a lotar na cerimônia em homenagem às vítimas do acidente aéreo de Medellín, mas todas as milhares de pessoas presentes se emocionaram, debaixo de um temporal, em Chapecó.
Ilaídes Padilha, mãe do goleiro Danilo, durante despedida das vítimas da tragédia com o avião que levava a delegação da Chapecoense à Medellin, na Arena Condá
O velório coletivo contou com a presença de familiares das vítimas, personalidades do futebol, como o presidente da Fifa, Gianni Infantino, e o treinador da seleção brasileira Tite, e do presidente Michel Temer – que nada falou. Além das bênçãos às 50 vítimas veladas, houve muitos agradecimentos à Colômbia, especialmente à equipe do Atlético Nacional.

O primeiro avião Hércules da Força Aérea Brasileira pousou com os corpos pouco antes das 9h30, no aeroporto Serafin Enoss Bertaso, em Chapecó. O outro avião com os caixões chegou cerca de quinze minutos depois. O presidente Michel Temer, que não planejava vir à Arena Condá, mudou de idéia e acompanhou o cortejo que chegou à Arena Condá às 12h39. Por lá aguardavam a maioria dos familiares das vítimas.

Uma delas se destacou: dona Ilaídes Padilha, mãe do goleiro Danilo, agradeceu a cada um dos torcedores nas arquibancadas, que gritavam o nome de seu filho. O público, emocionado com o que via no telão, cantou “o campeão voltou” e “é campeão”, até que o primeiro caixão, de Thiaguinho, entrasse no estádio. A partir daí, o silêncio tomou conta.

A colocação dos 50 caixões foi acompanhada por muitas lágrimas dos familiares. Apesar da chuva cada vez mais forte, a torcida não arredou pé e acompanhou cada um dos discursos oficiais. O prefeito da cidade, Luciano Buligon, vestindo uma camisa do Atlético Nacional, fez agradecimentos especiais ao povo colombiano. Anunciado logo após o presidente Michel Temer – que não foi vaiado ou exultado – o embaixador da Colômbia, Alejandro Borda, foi efusivamente aplaudido.

Houve ainda orações, e discursos do apresentador Cid Moreira e do presidente da Fifa, Gianni Infantino. A cerimônia terminou com mensagens de jogadores, como Neymar, no telão e com uma volta dos familiares pelo gramado, com imagens dos heróis que se foram. Pela primeira vez, a torcida se agitou, ao ritmo do hino do clube, como se iniciasse, depois do luto, o renascimento da Chapecoense.

O locutor do estádio anunciou, como fazia a cada fim de semana, a “escalação” dos ídolos da Chapecoense. Danilo, Ananias, Bruno Rangel, o técnico Caio Júnior e o presidente Sandro Pallaoro foram os mais celebrados. Os jornalistas e outras vítimas do acidente aéreo também tiveram seus nomes anunciados e aplaudidos. Logo após o fim do cerimonial, parou de chover e o sol voltou a iluminar as ruas de Chapecó. (Veja. com)

CONDENADO


O TCM condenou o presidente da Câmara de Itabuna, Aldenes Meira, pelas estripulias de 2015. Uma delas foi o gasto absurdo com o concurso, R$ 425.250. 


Intrigante mesmo é ele ser condenado por gastar demais em publicidade, R$ 407.046. Como deu calote em quase toda a mídia local, esse valor deve existir só no papel mesmo. O dinheiro “gasto” deve ter se perdido no caminho... 

Aldenes Meira ainda foi condenado por gastar demais em arquivo digital (R$ 88 mil), buffet (R$ 72 mil), serviços de informática (R$ 62 mil), manutenção das impressoras (R$ 56 mil!) e xérox (R$ 28 mil!). Se é que gastou mesmo. 

As contas da Câmara de Itabuna de 2015 foram rejeitadas de cabo a rabo. Foram mais de R$ 2 milhões de despesas excessivas. Tem de realização de concurso a manutenção de impressora. Não tem cadeado que feche essas contas. 

É o caixa de campanha florescendo. Se em 2015 foi essa farra de despesas, o que será de 2016, ano de campanha de reeleição, com tantos cabos eleitorais para pagar, carro de som, compra de votos, etc? Nem cimento tapará o rombo. (A região)

PARTE DA IMPRENSA IGNORAM A REJEIÇÃO DAS CONTAS DA CÂMARA

Mais uma prova que uma boa parte da imprensa de Itabuna é comprada. A maioria ignoraram a rejeição das contas do presidente e candidato a reeleição da mesa Aldenes Meira. Estranhamente, tvs, alguns blogs, rádios e impressos da cidade não divulgaram a decisão do Tribunal de Contas do Município-TCM. Nesta quinta-feira (1º), o Tribunal de Contas dos Municípios rejeitou as contas do presidente da Câmara de Itabuna, Aldenes Meira Santos referentes ao exercício de 2015, sobretudo em função das despesas irrazoáveis e ilegalidades em processos licitatórios. 

Veja o comentário de um internauta ao tomar conhecimento da decisão do TCM: "Seria muito proveitoso que os cidadãos tivessem a capacidade de analisar os atributos de uma câmara, os serviços prestados e o custo da mordomia que tais sanguessugas demandam. Para uma cidade quebrada, repleta de favelas, buracos, esgotos a céu aberto, sujeira nas ruas, mal cheiro em todos os lados e a violência tomando conta dos bairros e aprisionando os moradores em suas casas. Afinal, para que servem os vereadores? Para enriquecerem com o dinheiro do povo? O mesmo dinheiro que faz falta nas escolas, nos hospitais, nos remédios e na manutenção de serviços que produziriam bem estar aos habitantes, contudo, é regra geral neste país, que os canalhas da política dão as cartas e o povo ignorante, obedece. Por tudo isso, o Brasil permanecerá por longos séculos, sendo o país dos bandidos e do povo covarde, acomodado e burro".

Como fica agora a situação dos vereadores novatos em se juntar a mesa atual? Com esses escândalos e o não cumprimento de acordos por parte da mesa atual, a nova presidência da Câmara está cada vez mais caindo no colo do vereador Chico Reis e com méritos.